Sumário

WhatsApp: o que impulsionou o seu crescimento?

WhatsApp: o que impulsionou o seu crescimento? Um sucesso de crescimento sem marketing. Você conhece alguma pessoa que não usa o WhatsApp atualmente? Se sim, provavelmente essa é uma exceção entre tantas outras que costumam usar o aplicativo todos os dias. 

De acordo com a Statista, em 2021, o WhatsApp segue invicto no 1º lugar do pódio dos aplicativos de mensagens para aparelhos móveis a nível global. 

Com essa informação, podemos dizer que é um aplicativo que transformou a comunicação mundial. Sendo assim, temos o que aprender.

Qual é a história do WhatsApp?

Jan Koum, imigrante ucraniano, fundou o WhatsApp em 2009. No entanto, no primeiro momento, entendemos que o aplicativo não foi criado com o intuito de enviar mensagens. 

Portanto, por uma política em sua academia que não permitia celulares, Koum constantemente precisava deixar de atender as suas ligações. A partir dessa dor, ele teve a ideia de criar uma lista de contatos que mostrasse o status de cada pessoa ao lado dos nomes, mostrando-se ocupado ou não. 

Ou seja, a real mudança ocorreu quando a Apple lançou as notificações push. E, assim que os usuários mudassem seus status dentro do aplicativo, todos os contatos eram notificados. Os usuários gostaram tanto da inovação que começaram a mudar o status individualmente, fazendo com que ele percebesse que havia criado acidentalmente um “Instant Messenger”.

Para aproveitar a oportunidade, Koum lançou a versão 2.0 do WhatsApp. 

Isso permitiu que a base crescesse para 250.000 usuários nesse momento.

Como o WhatsApp se tornou um gigante?

Como falamos no início do texto, o crescimento do WhatsApp não foi dado por propagandas e divulgações tradicionais. A proposta de valor do app era oferecer a melhor experiência possível a ponto de ser recomendada. 

Em ordem, Brian Acton e Jan Koum, fundadores do WhatsApp.

Nesse momento, além de Koum, Acton já era sócio da companhia. E o que eles tinham em comum é que compartilhavam os mesmos valores: “No Ads, No Games, No Gimmicks!“, o que significa “sem anúncios, sem jogos, sem truques!”.

Portanto, o foco da criação do WhatsApp era em produzir algo que realmente ressoasse no usuário, fazendo a empresa desfrutar de um crescimento exponencial sem precisar investir tempo e dinheiro em marketing. 

Growth e projeção de crescimento:

Desde a fundação do WhatsApp, Koum e Acton sabiam que a sua maior oportunidade estava fora, estava nas massas. Sendo assim, eles não projetaram um aplicativo apenas para smartphones, mesmo que a sua criação estivesse ligada às notificações lançadas pela Apple. 

Ou seja, um de seus diferenciais foi querer mais e de forma mais inclusiva. Foram horas projetando e planejando uma maneira de garantir que o WhatsApp funcionasse na maior quantidade de celulares possíveis, até nos sistemas mais arcaicos. 

Sendo assim, outra impressionante curva de crescimento da empresa foi oferecer uma alternativa melhor e mais barata do SMS. Por essa razão, o WhatsApp já não era mais cobrado e somente dependia da internet do celular, que poderia ser 2G ou 3G.

Efeito boca a boca:

Depois de realmente oferecer uma proposta de valor importante e legítima, a sua distribuição em massa passou a ser feita pela indicação dos usuários que apreciavam o produto. 

Por fim, o conjunto de três fatores, foco no produto, customer experience e fácil integração (onboarding) contribuíram diretamente para tudo isso ocorrer. 

Cenário atual:

Apesar do WhatsApp não contar mais com seus brilhantes criadores, percebemos que ele ainda preza por entregar o melhor e mais acessível produto de mensagem para as pessoas, sem perder o seu propósito e a sua essência. 

Ou seja, a diferença é que, após a compra do WhatsApp pelo Facebook, além de fazer jus a missão estabelecida em 2009, o aplicativo também consegue oferecer outras opções de engajamento para os seus bilhões de usuários.

Hoje, o aplicativo está presente no dia a dia das pessoas, em estratégias de empresas com o modelo do WhatsApp Business e até de consumidores que mudaram os seus hábitos de compras ao preferir a facilidade do app. 

Sendo que, atualmente, o Brasil detém um dos maiores níveis de audiência do mundo. Portanto, os resultados foram extremamente positivos e relevantes principalmente para a nossa realidade e para a nossa cultura.

Gostou de aprender sobre esse case de sucesso de growth sem marketing? 

Para finalizar, para as suas próximas estratégias, conte com a Nalk para guiar o seu negócio aos seus objetivos. Acesse Growth Talks, nossa plataforma de conteúdos gratuita sobre growth, vendas, gestão, marketing e cultura.

Outros posts relacionados

Nalk - Cultura de experimentação
Métricas e dados

Experimentação como cultura empresarial

Ter uma cultura de experimentação é o que ajuda negócios e times de marketing, de vendas e de produto na criação de uma rotina de validação de hipóteses. Entenda como criar a sua neste artigo!

Leia mais »

Compartilhe este artigo

Se você gostou deste artigo compartilhe com seus amigos.